26 de junho de 2022

Macau Tec

Soluções Ambientais

As principais espécies de escorpião do brasil.

A proliferação de escorpiões ao redor do país é uma realidade cada vez mais comum. Geralmente, a infestação dessas pragas ocorre em ambientes urbanos. Nestes locais, os aracnídeos encontram alimento e abrigo em abundância.
Compartilhar nas redes sociais
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Pin on Pinterest
Pinterest

Existem 1600 espécies de escorpiões conhecidas no mundo e 160 delas estão presentes no Brasil. As responsáveis pelos acidentes graves pertencem ao gênero Tityus e têm como característica mais marcante a presença de um espinho sob o ferrão.

OS TIPOS MAIS COMUNS DO ESCORPIÃO DO BRASIL

TITYUS SERRULATUS

Com maior presença no Sul e Sudeste do Brasil, conhecido como escorpião amarelo, tem o tronco escuro, mas as pernas e a cauda de cor amarelo-clara. É o tipo mais perigoso e causa acidentes graves com registro de óbitos, principalmente em crianças. Por isso, o controle de sua população é essencial.

A espécie recebe esse nome de acordo com a presença de uma serrilha nos 3º e 4º anéis da cauda. Pode medir até 7cm de comprimento. Sua reprodução é partenogenética e cada fêmea pode ter, por ano, dois partos com, em média, 20 filhotes cada. Como vivem cerca de 4 anos, chegam a ter até 160 filhotes durante a vida.

TITYUS STIGMURUS

Chamado de escorpião amarelo do Nordeste, é parecido com o Tityus serrulatus tanto no comportamento quanto na coloração, mas possui uma faixa escura longitudinal na parte dorsal do seu mesossoma e uma mancha de formato triangular no prossoma. Também possui serrilha, entretanto, ela é menor. Sendo assim, é a espécie mais comum encontrada em Macau- RN.

TITYUS BAHIENSIS

Também conhecido como escorpião-marrom, esse aracnídeo mede cerca de 6 cm de comprimento. Sua coloração é predominantemente escura, com patas castanhas e dorso marrom escuro. Assim como o escorpião-amarelo, essa espécie se alimenta de insetos, principalmente baratas. Estas são facilmente encontradas em entulhos, lixos e outros locais úmidos.

O escorpião-preto é um dos tipos de escorpião menos agressivos. Inclusive, seu veneno é menos potente. Porém, é necessário tomar certo cuidado para evitar a picada. Diferentemente do escorpião-amarelo, o escorpião-preto se reproduz mediante a interação entre o macho e a fêmea.

TITYUS OBSCURUS

Antigamente conhecido como Tityus paraenses, o escorpião preto da Amazônia, quando adulto, tem cor negra e atinge até 9cm. Porém, quando jovens, esses animais têm corpo e apêndices castanhos e manchas escuras.

HABITAT

Os primeiros registros da existência destes animais no meio ambiente remontam há mais de 400 milhões de anos. Para sobreviver todo esse tempo, eles se adaptaram aos mais diversos habitats, dos desertos às florestas tropicais e do nível do mar a altitudes de até 4.400 metros. Porém, a maioria das espécies prefere os climas tropical e subtropical.

Na natureza, os escorpiões podem ser encontrados em desertos, savanas, florestas úmidas e temperadas, sob pedras e troncos de árvores.

Já no ambiente urbano, os animais escondem-se em qualquer local que imite as condições naturais. Para realizar o controle e a dedetização, é possível encontrá-los em vãos, frestas, buracos, entulhos e materiais de construção empilhados, terrenos baldios, subsolo de edificações, imóveis inacabados, forros de telhado, galerias de esgoto domiciliar, bocas de lobo e até vasos de plantas.

SINTOMAS DAS PICADAS

O veneno do animal estimula as terminações nervosas sensitivas, o que resulta em sintomas como dor intensa, edema e eritema discretos – isto é, inchaço e vermelhidão leves –, sudorese localizada em torno do local de picada e piloereção ou arrepio na região.

Eventualmente, as pessoas afetadas também podem ter mioclonias e fasciculações, que são contrações musculares incontroláveis, além de produção excessiva de saliva e de respiração ofegante.

O QUE FAZER SE FOR PICADO?

Em caso de acidente, lave o local da picada com água e sabão e, em seguida, faça uma compressa com água morna. Se for possível, capture o animal para posterior identificação. Nunca impeça a circulação sanguínea, nem faça cortes ou perfure a lesão.

Procure a unidade de saúde mais próxima a fim de realizar uma avaliação médica e para que seja realizado um tratamento de acordo com o protocolo de atenção ao acidentado por escorpião.

Nem todos os pacientes vão precisar de soro antiescorpiônico. Quando as pessoas que foram picadas chegam ao centro de saúde, recebem apenas remédios para aliviar a dor, uma vez que o próprio organismo é capaz de eliminar a toxina naturalmente.

Agora, se o indivíduo pertencer ao grupo de risco, que são idosos e crianças, ou apresentar uma reação grave, é administrado o soro para neutralizar o veneno. O Ministério da Saúde reuniu uma lista dos hospitais em Natal e nos arredores que realizam atendimento com soroterapia para acidentes com animais peçonhentos. Clique aqui para conferir.

COMO FAZER A PREVENÇÃO?

Algumas espécies de escorpiões foram adaptadas a ambientes alterados pelo homem e, sendo que exercem função importante no equilíbrio ecológico, como predadores de outros seres vivos, sua dedetização é desnecessária e eles podem e devem ser preservados no meio ambiente.

Em ambiente urbano, entretanto, é necessário adotar algumas medidas preventivas a fim de ter controle sobre a sua proliferação. São elas, nos locais externos das casas:

  • Faça sempre a limpeza de quintais e jardins
  • Não acumule folhas secas, lixo nem outros itens
  • Acondicione o lixo em recipientes adequados e com tampa
  • Não descarte lixo em terrenos baldios
  • Preserve seus inimigos naturais
  • Acabe com as fontes de alimento dos escorpiões, por meio de dedetização e controle de insetos
  • Preserve seus inimigos naturais
  • Deixe obras de construção civil livres de entulho
  • Faça a poda de arbustos, folhagens e trepadeiras que fiquem rentes aos muros
  • Mantenha as fossas sépticas bem vedadas
  • Reboque as paredes externas para acabar com vãos e frestas

Já para impedir que o animal invada o interior da sua residência, você precisa:

  • Eliminar vãos e frestas de paredes, utilizando reboco soltos
  • Vedar as portas com rolos de areia ou rodos de borracha
  • Telar as janelas
  • Utilizar telas em ralos e nas aberturas de ventilação de porões
  • Manter assoalhos calafetados
  • Consertar rodapés soltos
  • Manter vedados os pontos de energia e de telefone

MÉTODOS DE CONTROLE

Para o controle de escorpiões nas cidades, além da modificação das condições do ambiente, com o objetivo de torná-lo desfavorável à sua permanência e proliferação, é possível realizar a dedetização.

Os escorpiões são altamente resistentes a venenos, pois costumam alojar-se em abrigos naturais ou artificiais de difícil penetração de inseticidas. Além disso, são capazes de permanecer com seus estigmas pulmonares fechados por um longo período. Por isso, técnicas especiais devem ser utilizadas.

O controle químico pode ser feito por meio de técnica de pulverização direta e também nos arredores do espaço afetado, de abrigo, de passagem e de alimentação do escorpião. Deve ser utilizado um produto com bom poder residual e vale a pena apostar no MIP (Manejo Integrado de Pragas), que costuma apresentar melhores resultados. Outra boa solução é de controlar as baratas do local e, assim, diminuir a oferta de alimento para os escorpiões.

FONTES:

https://mundoeducacao.uol.com.br
https://www.biologianet.com
https://pt.wikipedia.org
Compartilhar nas redes sociais
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Pin on Pinterest
Pinterest